terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Texto sobre estupro

Olááá~!

Encontrei este texto no Facebook (um contato meu compartilhou) e achei maravilhoso de ler. Parece que o blog que postou originalmente esse texto se chama Biscate Social Club (mas hein?!) e... Sei que o nome não é muito legal ou confiável (pelo menos eu não achei, uma vez que vejo "biscate" como um termo pejorativo), mas li partes de algumas postagens e encontrei essa explicação na postagem Quando soltar a franga quer dizer que existimos. Ei-la:

(...) quando nós nos denominamos BISCATES (sejamos homens ou mulheres) queremos desvelar ao mundo, de uma forma afirmativa, uma identidade feminina/afeminada que é julgada pela ótica masculina do mundo como inferior, vulgar, ridículo, vergonhoso, indigno, e muitos outros adjetivos nas suas múltiplas formas de ser.

Dada essa definição, meu julgamento ruim sobre esse blog foi-se e pretendo realmente dar uma olhada mais a fundo nele. E, tendo tudo isso explicado, deixo a você o texto, que achei interessantíssimo de ler e, mais do que isso, pensar a respeito.




♠  ♣  ♥  ♦


Sobre Estupro


"Entenda: estupro não tem atenuante. Mulher pode gostar de sexo, de beber, usar roupas provocantes e se divertir e isso não dá a ninguém o direito de estuprá-la. Vamos desenhar, atenção: Não é porque ela estava bêbada que pode estuprar. Não é porque ela estava na rua sozinha depois das 22hs que pode estuprar. Não é porque ela estava com um grande decote, saia curta ou maquiada que pode estuprar. Não é porque ela é prostituta que pode estuprar. Não é porque ela dá pra todo mundo que tem que dar prá você também. Não é porque ela é gostosa que pode estuprar. Não é porque ela dança de forma provocante que pode estuprar. Não é porque ela é “feia” e nunca ia arrumar namorado que pode estuprar. Não é porque ela concordou em conhecer sua coleção de figurinhas de jogadores das seleções asiáticas de futebol que pode estuprar. Não é porque ela se deitou com você e ficou trocando carícias embaixo do edredom que pode estuprar. Não pode usar força, não pode insistir com ameaças, não pode se aproveitar que a pessoa dormiu, não pode chantagear. NÃO PODE ESTUPRAR!

Quando alguém diz não, significa exatamente isso: NÃO. Não importa o que ela “quer dizer”, importa o que ela efetivamente disse. E se a pessoa está desacordada, bêbada, drogada ou sonolenta e não tem condições de dizer sim ou não, saiba: é sempre não. Se a pessoa não pode decidir, guarde a viola no saco (guarde o pinto dentro da cueca) e espere outro momento.

Para os que se perguntam se a responsabilidade não é dos dois, um esclarecimento: a culpa de ser estuprada não é da vítima. Não, ela não provocou. Ela tem o direito de vestir o que quiser, de beber o quanto quiser, de dançar, sorrir, beijar e decidir não fazer sexo. O corpo dela não é brinquedo. Ela é uma pessoa, com liberdade e direitos. Essa é a parte que o moralismo parece esquecer. As mulheres são sujeitos e têm direitos. As mulheres não estão no mundo para provocar ou satisfazer os homens. Estão por aqui pra ser felizes, tal como eles. Antes de apontar o dedo e afirmar que ela mereceu a violência sofrida, é bom pensar que os agressores não são previsíveis. Estupra-se criança, idosas, estupra-se mulheres cobertas da cabeça aos pés, estupra-se homens, meninos, estupra-se freiras e prostitutas. Estupra-se mulheres que bebem e estupra-se as abstêmias. Porque sempre a culpa é da mulher? Porque é tão mais fácil dizer que ela deu sopa, que “pediu por isso”, que “fez por onde”? Não é o “dar sopa”, ser biscate, estar bêbada ou “a mão” que a torna alvo do estupro. Homens estupram porque acham que podem, que têm esse direito, que o mundo lhes serve. É relação de poder, pura e simples.

Então, você mulher “direita” que está aí se dando o direito de julgar e apontar o dedo para a “biscate” e dizer que “ela pediu”, “mereceu” ou no mínimo que “aguente as consequências dos SEUS atos” (como se ela tivesse escolhido ser estuprada), saiba que você não está a salvo de um estupro e toda a sua “direitice” e moralismo não irão te salvar na hora em que algum homem te olhar e achar que pode se satisfazer no teu corpo mesmo contra a tua vontade. Porque a violência contra a mulher é ampla e democrática, não julga comportamento, idade, cor, profissão, classe social, origem."



♠  ♣  ♥  ♦


Deixo a vocês abraços carinhosos e pensantes! o/

PS: para certas pessoas seja óbvio ler tudo isso, assim como foi para mim. Infelizmente, há pessoas para quem as coisas faladas no texto não são óbvias. Foi puramente por isso que falei que esse texto faz pensar; porque, mesmo para quem acha óbvio o que foi escrito, ajuda a lembrar que tem muita gente para quem não é.

3 comentários:

  1. O que é obvio a um, não é obvio ao outro.


    Sinto saudades dos seus emails ç3ç

    ResponderExcluir
  2. Esse é um dos assuntos que mais me perturbam .-.

    Te indiquei pra uma tag!
    http://reinodemorango.blogspot.com/2012/02/tag-11-perguntas.html

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...